sexta-feira, junho 22, 2007

Black Hawk Down em Blu-Ray

Comprei hoje o filme Black Hawk Down em formato Blu-Ray para ver na PS3.
Pensei que já nada me surpreendia, mas a qualidade da imagem e do som é incrível. É preciso não esquecer que este filme não utiliza efeitos CGI, a imagem que vemos é mesmo real, com ruas repletas de destroços, areia, fumo, etc (é claro que um filme como a Guerra das Estrelas, neste formato, deve ser muito mais impressionante). Posso mesmo dizer que foi a primeira vez que vi um filme de guerra e tive a sensação de estar no meio da acção.
Por alguma razão se chama Alta Definição.

quarta-feira, junho 20, 2007

O Arrebatamento

Na sequência deste post do Nuno Markl e deste, resolvi contribuir com a minha versão Mix do Arrebatamento:



Pelo que percebi, ao ouvir o ficheiro que o Markl disponibilizou, o arrebatamento é a subida dos crentes no Senhor aos céus. O pastor diz que, quando isso acontecer, os carros, os aviões, os comboios e as ruas vão ficar vazios, pois os seus ocupantes vão subir rápidamente ao céu. A minha pergunta é: E quem tiver o azar de estar em casa nessa altura? Bate com os "cornos" no teto? Se eu for arrebatado espero que me avisem com antecedência para ir para a janela.

terça-feira, junho 19, 2007

Os últimos filmes que vi...





Não sou crítico de cinema, nem quero ser, por isso não vou aprofundar muito a análise destes cinco filmes.
A Quadrilha Selvagem (The Wild Bunch), de Sam Peckinpah, é um clássico dos westerns. Este é, possivelmente, o melhor western alguma vez feito. É claro que os fãs de Sergio Leone ou de Howard Hawks podem não concordar, mas este blog é meu e aqui o que conta são as minhas opiniões ;p.
Resumindo, este filme conta a história de um grupo de bandidos já com alguma idade que procuram um último golpe numa altura em que o velho oeste sofre os efeitos do progresso (a acção do filme está centrada em 1914, meses antes do início da 1ª Guerra Mundial). Já está nos clubes de video a ediçao especial com dois cd´s, vale a pena ver.
Scoop é o novo filme de Woody Allen e é mais um bom filme deste senhor. Só é pena que a versão que aluguei no clube de video não tenha o áudio ingês 5.1. Nos dias de hoje não faz sentido alugar filmes apenas com áudio em 2 canais.
Bandeiras dos Nossos Pais e Cartas de Iwo Jima: Em comum nestes dois filmes está a ilha de Iwo Jima e a sangrenta batalha que opôs americanos e japoneses. Não há muito a dizer sobre os filmes. São uma pequena obra de arte do cinema, mais um grande momento de cinema proporcionado por Clint Eastwood, desta vez novamente como realizador.
O Marine consegue ser dos piores filmes que alguma vez entraram no meu leitor de dvd´s. Nem vale a pena falar do filme, das más interpretações, do mau argumento. A única pessoa que teve uma prestação positiva neste filme foi o gajo que estava encarregue de fazer rebentar os engenhos pirotécnicos. E acreditem que há muita explosão neste filme. Aliás, eu nem sabia que um carro a raspar em madeira provocava tantas explosões... O actor principal, se podemos chamar aquilo de actor, consegue voar mais alto e mais depressa que o super-homem quando é apanhado nessas explosões, mas não aparece chamuscado. Há uma cena em que ele vai a correr e um bandido lhe espeta com um extintor em cheio na cara. Não é que o gajo se levanta pouco depois sem uma única marca?! Que treta de filme.
E ainda tentam ter piada: O chefe dos bandidos é o actor Robert Patrick (o mesmo que fez de exterminador no T2) e há uma cena em que estão a ser perseguidos pelo John Cena. O carro do John já levou com tantas balas que parece um queijo suiço, mas continua atrás deles. E há um bandido que se vira para o chefe e diz: "Este gajo parece o exterminador". E depois focam a câmara no olhar do Robert Patrick como a dizer: "Já viram como este comentário tem piada? Eu é que fiz de Exterminador..."

Ah, e agora vou ver o filme "Um Trunfo na Manga" - Smokin´Aces. Dizem que é bom, depois digo

domingo, junho 17, 2007

Um dia na Ota



"Vim para a Força Aérea porque o mercado de trabalho está muito complicado. A Força Aérea sempre foi uma segunda opção para mim."

Conheço muita gente como esta na Força Aérea. São pessoas que conseguem ir ao curso de Sargentos ou Oficiais sem terem a mínima vocação para a vida militar. Estas palavras, de um jovem que queria seguir jornalismo, são bastante comuns. Já no meu tempo isso acontecia. Muitos ainda andam por lá, agora como sargentos, sem qualquer brio ou orgulho na farda que vestem. Ainda este mês vi dois dois militares da Força Aérea, fardados, aos beijos (era um rapaz e uma rapariga...)e sem o respectivo bivaque na cabeça.
Também é engraçado ver militares a queixarem-se por terem os braços esfolados...

Euromísseis de Portugal 84